Menu Fechar

MOBILIDADE

Maior mobilidade, Menos constrangimento

Cascais precisa de uma verdadeira revolução na mobilidade para recuperar o atraso de décadas que tem nesta área.

A Iniciativa Liberal propõe uma solução integrada, aumentado a oferta de soluções de mobilidade, para que o munícipe tenha a liberdade de escolher o meio de transporte que lhe é mais adequado favorecendo soluções de mobilidade sustentáveis, contribuindo assim para uma melhoria da qualidade de vida dos munícipes de Cascais e do funcionamento dos agentes económicos.

A mobilidade não pode ser encarada como algo exclusivo ao concelho, como tem sido feito até agora, mas sim como um projeto mais amplo em coordenação com os concelhos limítrofes e outras entidades da área metropolitana de Lisboa.

1.

Priorizar o Peão

  1. Implementar um programa de manutenção e construção de passeios e percursos pedonais.
  2. Libertar os passeios de obstáculos e estacionamento indevido permitindo a sua utilização em segurança por todos.
  3. Renovar o pavimento do Paredão de Cascais / Estoril, de forma a garantir uma superfície segura para caminhadas e confortável para corrida desportiva.
  4. Melhorar o Paredão de Cascais / Estoril nos lugares de afunilamento de forma a garantir uma margem confortável de passagem dos peões em ambos os sentidos.
  5. Ligar o Paredão de Cascais / Estoril ao Paredão de Oeiras (no Forte São Julião da Barra), integrando o existente Paredão da Ponta do Sal e Carcavelos.
  6. Criar uma rede de passeios recreativos incluídos em cinturas verdes urbanas, atravessando e unindo o concelho.

2.

Investir em Mobilidade Sustentável: Ciclovias e Veículos Partilhados

  1. Construir uma rede integrada de verdadeiras ciclovias unindo as quatro freguesias e concelhos limítrofes.
  2. Construir novas pontes para peões e bicicletas no Vale da Ribeira das Vinhas e no Vale da Ribeira da Laje.
  3. Assegurar que a rede de ciclovia liga equipamentos essenciais do concelho (escolas, espaços comerciais, lugares de atendimento ao público, entre outros).
  4. Reformular a ciclovia no Paredão de Cascais / Estoril, permitindo o uso do mesmo em segurança por parte de peões e ciclistas.
  5. Implementar uma campanha de sensibilização para o uso de bicicletas em segurança.
  6. Aumentar o número de locais de estacionamento seguro para bicicletas fomentando o uso das mesmas para pequenas deslocações.
  7. Facilitar, em parceria com empresas privadas, a instalação de equipamentos para estacionamento de bicicletas.
  8. Rever anualmente o Plano Municipal de Ciclovias adaptando-o às alterações de mobilidade dos munícipes de Cascais.
  9. Recuperar o sistema de bicicletas partilhadas, com a opção por operadores privados.
  10. Encorajar a iniciativa privada para a instalação no concelho de plataformas de motociclos partilhados e veículos partilhados.

3.

Implementar uma Verdadeira Rede Integrada de Transportes Coletivos

  1. Articular com a administração central e concelhos limítrofes o reforço de uma rede integrada de transportes públicos.
  2. Articular com a I.P., governo central, municípios de Lisboa e Oeiras, a requalificação da Linha de Cascais (e ligação à Linha da Cintura), com apoio dos fundos europeus.
  3. Extinguir a Autoridade de Transportes do Município de Cascais integrando o município na Autoridade de Transportes da AML.
  4. Construir, em articulação com os outros parceiros, a Estação Intermodal de Cascais e a Estação Intermodal de Carcavelos.
  5. Articular com a administração central e concelhos limítrofes, a construção e concessão privada de uma rede de metro ligeiro de superfície entre Cascais, Oeiras e Sintra – Metro Oeste Atlântico (M.O.A.)
Diagrama do Metro Oeste Atlântico (M.O.A.)

4.

Implementar uma Verdadeira Rede Integrada de Transportes Coletivos

  1. Negociar com a I.P. a mudança da gestão da Avenida Marginal, nos limites do concelho, para a Câmara Municipal de Cascais.
  2. Aumentar o número de semáforos e passadeiras de peões na Estrada Marginal para promoção da segurança e acesso à linha de costa.
  3. Construir um separador central na Estrada Marginal, à semelhança do que já existe nalguns troços, para diminuição da sinistralidade.
  4. Promover junto da entidade competente, o encerramento ao trânsito de 2 faixas da Estrada Marginal ao sábado e domingo.
  5. Construir a ligação de Manique – Trajouce – Conceição da Abóboda (conclusão da Via Longitudinal Norte).
  6. Construir a ligação nó do Estoril da A5 – Alto dos Gaios – Livramento – Zambujal – São Domingos de Rana (conclusão da Via Longitudinal Sul).
  7. Construir a ligação de S. Pedro do Estoril à rotunda da Estrada da Alapraia (circular nascente a S. Pedro do Estoril).
  8. Construir a ligação Bairro de São Miguel das Encostas – Avenida Rio Dão (conclusão da Via Oriental de Cascais).
  9. Construir o novo nó de ligação entre A5 e o Aeroporto de Cascais.
  10. Insistir junto da I.P. para a construção da variante da EN 249-4 e respetiva ligação à A5 (Fonte do Arneiro – IC19).
  11. Construção da passagem superior/inferior à Linha de Cascais em São João do Estoril.
Conclusão da Rede Viária de Cascais

5.

Melhorar a Segurança e a Manutenção

  1. Reforçar a manutenção / reparação do pavimento da rede viária numa base regular.
  2. Favorecer ruas de direção única libertando espaço para ciclovias, passeios e outro equipamento urbano, e facilitando a circulação viária e pedonal.
  3. Introduzir sistemas de sinalização inteligente permitindo a otimização dos fluxos de tráfego nas zonas mais congestionadas.
  4. Adotar as medidas necessárias para a significativa redução da sinistralidade nas estradas de Cascais.
  5. Melhorar as acessibilidade e fluidez do tráfego junto de todas as escolas (públicas e privadas) do concelho.

6.

Transformar as Políticas de Estacionamento

  1. Alterar as tarifas de estacionamento com um desconto significativo para viaturas elétricas.
  2. Reduzir as tarifas de estacionamento nas duas primeiras horas para valores simbólicos apoiando o comércio local, mas garantindo a rotatividade do estacionamento.
  3. Reforçar a fiscalização municipal sobre o estacionamento ilegal e alterações de estacionamento nos locais de atropelamentos frequentes.
  4. Reformular a estratégia de estacionamento pago em Cascais assegurando que este não tem um interesse orçamental.
  5. Garantir que o estacionamento pago em zonas comerciais é limitado a áreas sem alternativas de estacionamento viáveis.
  6. Garantir que o estacionamento pago em zonas residenciais é limitado a zonas onde o estacionamento para moradores é diminuto e não existe estacionamento privado.
  7. Criação de áreas de estacionamento inovadoras em zonas com fluxos de trânsito diários bastante variáveis.